Extranet

 

prefeito sarto falando

A Prefeitura de Fortaleza inicia o ano de 2023 com o lançamento do programa Nova EJA Fortaleza, um pacote de investimentos destinado à Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Rede Municipal de Ensino. A gestão municipal, por meio da Secretaria Municipal da Educação (SME), irá distribuir 10 mil tablets para os alunos da modalidade, concederá 10 mil bolsas para auxílio financeiro e firmará parcerias para ofertar ações formativas e de mercado dos estudantes. O pacote de ações soma o investimento total de cerca de R$ 30 milhões.

Como argumentou o prefeito José Sarto, a Nova EJA contará com um currículo inovador e mais atrativo. O principal objetivo é reduzir desigualdades sociais e econômicas, além de ajudar na construção de propósito de vida para o estudante, englobando aspectos socioemocionais alinhados às perspectivas individuais de cada aluno.

“Serão 10 mil vagas ofertadas, que contarão com entrega de tablets, concessão de bolsas e um currículo atrativo, construído para despertar a vocação dos nossos alunos. O objetivo é trabalhar para diminuir as desigualdades, e uma das mais injustas, a desigualdade de conhecimento, pois ele é libertador e gera mais chances e oportunidades na vida. No projeto, também serão oferecidas para o aluno ações complementares de empreendedorismo, planejamento de vida, e educação digital”, informou o prefeito.

O currículo da Nova EJA Fortaleza inclui atividades presenciais e virtuais com formações nas temáticas de inclusão e economia digital e linguagens de programação, por meio de parceria com a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova) e o programa Juventude Digital. Os alunos terão ainda formação na área do empreendedorismo, sustentabilidade e renda, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Fortaleza (SDE).

“As políticas de alfabetização na idade certa tem dado muito certo em Fortaleza, e nós corrigimos diversas distorções, como o nosso índice idade-série. Mas a pandemia trouxe desafios, e percebemos o impacto da evasão escolar em algumas faixas-etárias. Sendo assim, para uma pessoa que já trabalha e largou a escola, é necessário que o projeto faça sentido na vida dela. Por isso, nós iremos aliar as disciplinas escolares com o empreendedorismo social, a economia digital e os outros programas de inclusão social geridos pela Prefeitura”, comentou Dalila Saldanha, titular da Secretaria Municipal da Educação (SME).

Luiz Alberto Sabóia, presidente da Citinova, comentou algumas ações que serão ofertadas pela Fundação em parceria com a SME. “Nós iremos implantar o eixo Juventude Digital - EJA. O Juventude Digital é um grande programa que já capacitou 15 mil jovens, e agora irá auxiliar na formação desses jovens adultos. Vamos oferecer iniciações às linguagens digitais, ao design, e aos fundamentos da programação. Certamente, para quem se aprofundar nestes temas, isto será um diferencial no acesso a emprego e renda no futuro”.

Além das ações para os estudantes, a Nova EJA também ofertará um novo ciclo formativo aos professores que lecionam na modalidade, buscando uma formação permanente, de qualidade e antenada com uma proposta pedagógica para uma EJA com foco na inovação.

Ana Maria Brito, professora do EJA na Rede Municipal de Ensino, elogiou o novo programa. “Eu gosto de ver a evolução das coisas, ver a prosperidade dos projetos. Eu acredito que com o novo programa, as pessoas que saíram da escola vão ver seu mundo no projeto. Eles vão ficar mais engajados, com mais gosto, presença e aprendizado”.

Com o pacote de investimentos, a meta da Rede Municipal é ampliar o atendimento da modalidade para 10 mil matrículas. A Educação de Jovens e Adultos possibilita que adultos, idosos ou jovens com mais de 15 anos que não concluíram o Ensino Fundamental possam continuar os estudos. Os alunos matriculados nesta modalidade também têm alimentação garantida, materiais e livros didáticos específicos, professores lotados exclusivamente para atuar no período da noite e fardamento.

EJA em Fortaleza
No ano letivo de 2022, a Rede Municipal contabilizou 5.539 alunos matriculados na EJA. Em 2021, eram 9.472 estudantes. E em 2020, 11.093. A redução do número de alunos matriculados na modalidade tem relação com a regularização gradativa da distorção idade-série. Nos últimos anos, Fortaleza tem registrado avanços e melhorias nos índices educacionais, fortalecendo o acesso, permanência e a aprendizagem dos alunos.

Desta vez, conforme o Censo Escolar 2021, a Rede Municipal segue avançando na regularização gradativa da distorção idade-série, dado estatístico que acompanha, em cada série, o percentual de estudantes que têm idade acima da esperada para o ano em que estão matriculados. Com isso, 85,6% dos estudantes de Fortaleza concluíram a série adequada na idade certa.

Em 2012, Fortaleza registrou índice de 36,6% na distorção idade-série, conforme estudo realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Já em 2021, o índice foi reduzido e chegou a 14,4%.

(Com informações do Portal da Prefeitura de Fortaleza)