Extranet

 

O estande da Secretaria Municipal da Educação (SME) na 14ª Bienal Internacional do Livro do Ceará anuncia: “Um livro é um sonho que seguramos nas mãos”. Proferida pelo autor britânico Neil Gaiman, a frase ganha ainda mais sentido na visão da professora Raquel Costa, da Escola Municipal Bergson Gurjão. Ela é uma das educadoras que acompanharam, na tarde desta quarta-feira (16/11), a visita de 300 estudantes da Rede de Ensino ao evento literário. Ao todo, 2 mil alunos terão esta experiência até amanhã (18/11).

“Eles estão fascinados como num sonho! A gente trabalha a leitura diariamente na sala de aula, porque queremos incentivar o poder da imaginação, além de oportunizar que eles conheçam novas palavras e significados”, resume a docente, de olho na turma do 3º ano empolgada com cada detalhe. “E, para nós professores, ainda tem o cardlivro, que é uma oportunidade ótima para a gente investir na nossa formação”, adiciona, elogiando a iniciativa municipal que distribuiu créditos de R$ 200 para os profissionais envolvidos no processo pedagógico e abandono escolar.

Com o tema “De toda gente para todo o mundo”, a edição da Bienal deste ano dispõe da visita guiada para escolas interessadas em passear pelos corredores do maior evento literário do Estado e um dos maiores do País. Neste contexto, os alunos Felipe Gabriel e Gabriel Brilhante, da Escola Municipal Francisco Silva Cavalcante, localizada no bairro Floresta, chegaram ao Centro de Eventos com a expectativa de aliar a diversão ao conhecimento. Foi a primeira vez dos jovens na Bienal do Livro.

“Fiquei muito feliz com a oportunidade. Nunca tinha vindo para um evento assim. É uma motivação da escola para que a gente tenha mais intimidade com a leitura”, defende Felipe, de 16 anos. “Minha expectativa é a diversão! Mas também quero escolher um livro que dê pra raciocinar um pouquinho, que me ajude no futuro”, complementa o colega Gabriel, da mesma idade.

No estande interativo da SME, alunos e visitantes podem ler livros, brincar e conhecer mais da Rede Municipal

Murilo Albuquerque, professor de Português dos dois jovens, avalia a ocasião como “incrível”. Segundo ele, a participação na Bienal é um estímulo para que os estudantes resgatem o hábito de leitura, muitas vezes perdido em razão da preferência pelas novas tecnologias. “O evento abrange todo o conteúdo literário em suas diversas formas. Aqui, tem quem goste de romance, tem quem goste dos quadrinhos. Cada um com sua perspectiva diferente do que é a leitura”, diz, acrescentando que também quer aproveitar a visita para utilizar o cardlivro.

Para além da Feira de Livros, a Bienal oferece uma ampla programação com atrações de natureza artística e literária, incluindo palestras, oficinas, contações de histórias, entre outros. Em meio a essa gama de possibilidades, a educanda Ana Laura Gomes, da Escola Municipal Marieta Guedes, no bairro Novo Mondubim, relata que vai levar todo este enriquecimento cultural para a sua unidade escolar. “Eu estou achando tudo muito incrível, porque é um evento que nos coloca em contato com o mundo do livro, da ilustração. É importante compartilhar isso com mais pessoas!”, pontua a estudante do 7º ano, concluindo com análise sobre a frase do estande da SME: “gostei muito! O livro realmente nos ensina a sonhar e a imaginar. É muito interessante perceber que a leitura pode mudar os nossos hábitos do dia a dia!”.

Rede Municipal na Bienal

O estande da SME apresenta a Rede Municipal de Ensino no contexto da leitura. Os alunos e visitantes podem ler livros, brincar, consultar publicações da Rede, entre outras atividades e informações das escolas. Nos dias 17 e 18/11, a Educação contará com apresentações dos relatos de experiências exitosas de práticas leitoras desenvolvidas nas unidades escolares, além de rodas de conversas literárias com os professores autores. Dentre as temáticas: a literatura infantil, poesia, pluralidade do gênero textual, jogos de tabuleiro, clube de leitura, entre outras.

Nas salas também haverá apresentações do II Colóquio da Educação de Fortaleza, que inclui trabalhos dos professores da Rede Municipal que estão nos programas de mestrado e doutorado de universidades parceiras, do Programa Observatório de Fortaleza. Educadores das unidades municipais que compõem o projeto "Professor Autor: Fazendo História... Trocando Figurinhas" participam igualmente da programação, com exposição de trabalhos que abordam o fortalecimento da leitura, desenvolvidos em salas de aula.