Extranet

Para ter acesso a Intranet insira seu usuário e senha do e-mail institucional.

USUÁRIO:

Sair

 

Fortaleza tem 96% das escolas municipais com padrão desejável de alfabetização

 

Os dados preliminares do Sistema de Avaliação Permanente da Educação Básica do Estado do Ceará (Spaece) foram divulgados nesta quinta-feira (23/02)

Fortaleza tem 96% das escolas municipais no nível desejável de aprendizagem, que significa alunos lendo e escrevendo na idade certa. Os dados preliminares do Sistema de Avaliação Permanente da Educação Básica do Estado do Ceará (Spaece) foram divulgados pelo prefeito Roberto Cláudio e pela Secretária de Educação Municipal, Dalila Saldanha, nesta quinta-feira (23/02), durante coletiva no Marina Park.

A capital cearense saltou de 20 escolas em nível desejável, em 2012, para 195 em 2016, último ano da avaliação. Fortaleza também registrou 49 pontos a mais na proficiência alfa em relação aos resultados de 2012, passando de 131,4 para 180,4, de acordo com dados ainda preliminares.

O resultado do crescimento no número de escolas com nível desejável é fruto de um trabalho realizado ao longo dos últimos quatro anos, com empenho na valorização e formação dos professores da rede de ensino, e nas políticas de aprendizagem em tempo integral. Em 2013 eram 30 escolas. Já em 2014 esse número chegou a 74. Em 2015 o indicador quase dobrou, com 146, gerando um crescimento de mais de 550% do número de escolas no nível desejável.

“Este mérito foi feito por várias mãos. O prefeito priorizou a educação, apoiando a escola, investindo na formação de professor, disponibilizando materiais. Vamos investir também nisso para que esse crescimento chegue para todas as crianças”, comentou a secretária Dalila Saldanha.

Quanto ao desempenho dos jovens do 5º ano, a avaliação apresentou os seguintes resultados: na disciplina de Língua Portuguesa, o percentual de alunos no nível adequado subiu para 212,6, que registrou em 2012 o percentual de 199,4; em Matemática, ficou em 220,5, diferente dos 204,2 apresentados naquele ano. Já os alunos do 9º ano, em Língua Portuguesa, saíram de 246,4 em 2012 para 257,6 em 2016 e em Matemática, de 247,3 em 2012 para 251,6 pontos em 2016.

Mais PAIC

Em dezembro de 2015, o governador Camilo Santana lançou o Mais Paic - Programa de Aprendizagem na Idade Certa. Essa medida teve como finalidade ampliar o trabalho de cooperação já existente com os 184 municípios, que além da Educação Infantil e do 1º ao 5º ano do EF, passou a atender também do 6º o 9º ano do EF nas escolas públicas cearenses.

De acordo com o levantamento, cerca de 310 mil alunos do 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental de mais de 4.500 escolas públicas participaram da avaliação externa.

Em 2007, o Programa Alfabetização na Idade Certa (Paic) iniciou suas atividades com a meta de garantir a alfabetização dos alunos matriculados no 2º ano do Ensino Fundamental da rede pública cearense. A partir de 2011, para expandir essas ações ao 3º, 4º e 5º anos, foi lançado o Programa Aprendizagem na Idade Certa (Paic +5). Em dezembro de 2015, o governador Camilo Santana lançou o Mais Paic, que além da Educação Infantil e do 1º ao 5° ano, passou a atender também do 6° o 9° ano nas escolas públicas cearenses.

Spaece – Escalas

A escala da alfabetização (2º ano) é constituída por cinco padrões, representados pelas seguintes pontuações: até 75 pontos – não alfabetizado; de 75 a 100 – alfabetização incompleta; de 100 a 125 – intermediário, de 125 a 150 – suficiente e acima de 150 – nível desejável.

Os resultados do 5º ano, por sua vez, são identificados a partir de quatro padrões de desempenho, sendo para Língua Portuguesa: até 125 pontos – muito crítico; de 125 até 175 – crítico; de 175 até 225 – intermediário, e acima de 225 – nível adequado. Para Matemática, os padrões de desempenho dos alunos do 5º ano são expressos através dos seguintes níveis: até 150 pontos – muito crítico; de 150 até 200 – crítico; de 200 até 250 – intermediário, e acima de 250 – nível adequado.

Em 2007, ano de implantação do Paic, a média de proficiência alcançada no 2º ano do Ensino Fundamental foi de 119,1 pontos, o que corresponde ao padrão intermediário. Em 2016, alcançou 185,6 pontos, o que demonstra uma evolução para o padrão desejável, ou seja, melhor nível da escala.

Essa melhoria nos níveis de alfabetização e dos primeiros anos do ensino fundamental alcançada no Ceará deve-se à boa combinação dos esforços de todos os municípios com o apoio estadual.

Clique aqui para ver os resultados preliminares.