Extranet

Para ter acesso a Intranet insira seu usuário e senha do e-mail institucional.

USUÁRIO:

Sair

 

Projeto literário do CEI Antônia Maria de Lima incentiva a leitura e fortalece vínculos entre escola e família

 

Ler, ouvir e recontar histórias, esse é o objetivo do projeto que vem sendo praticado pelos alunos do CEI Antônia Maria de Lima, uma atividade que estimula ainda mais a leitura e desenvolve as habilidades cognitivas das crianças por meio da contação de histórias. "O Sapo que emprestava livros" é o nome dado ao projeto que propicia às crianças e seus familiares a interação com o universo literário, ampliando o aprendizado da criança e a relação dos pais com a escola. O projeto vem sendo desenvolvido desde abril deste ano pelos professores do Centro de Educação Infantil e foi idealizado pela coordenadora Isabel Veras.

Cada criança leva um livro para casa e tem o compromisso de ler para um parente ou pedir para que leiam para ele. Os alunos recebem o livrinho numa sacola especialmente confeccionada para a tarefa. Com ela, vem um personagem muito importante para tornar a ação ainda mais divertida: o sapo. Segundo Isabel, o sapo foi escolhido por ela com o objetivo de dar ainda mais vida à história, partindo do pressuposto de que ele será companheiro da criança na atividade. “A presença do sapo de pelúcia na sacola tem o intuito de desenvolver a afetividade, o zelo com os materiais escolares e o gosto pela leitura. Muitas vezes o bichinho será o próprio ouvinte da história, como já presenciamos”, conta.

A professora e mãe de uma aluna do CEI, Valéria Nascimento, já participou da experiência e diz que o desenvolvimento desse projeto na creche vem transformando o ambiente escolar e principalmente o ambiente familiar para cada aluno. “A minha filha tem apenas 2 anos e, mesmo não sabendo ler, se mostrou interessada pelo livro devido aos detalhes e às cores. Como mãe, reconheço a importância de ter um momento pedagógico com a minha filha em casa também”, complementou a educadora.

A diretora Auderlenis Araújo conta com entusiasmo a mudança provocada pela inserção dos livros na rotina das crianças fora do ambiente escolar: “Eu vejo pais emocionados, porque isso lhes proporciona um tempo a mais de qualidade com os filhos e fortalece ainda mais o vinculo da escola com a família. Fico muito feliz em ver que o resultado do nosso trabalho como educadores vai para além da escola”, afirmou a diretora.