Extranet

 

SME participa de audiência pública sobre Educação “Afro"

 

Representantes da Secretaria Municipal da Educação (SME) estiverem presentes, nesta terça-feira (16/07), em audiência pública para lançamento do termo de colaboração entre a SME e Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), por meio Coordenaria Especial de Política de Promoção da Igualdade Social, sobre Educação “Afro”. A sessão foi articulada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MP-CE), por meio da 14ª Promotoria de Justiça de Fortaleza.

Na ocasião, a SME foi representada por Karla Barata, supervisora do Núcleo da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que durante a apresentação apontou a política de formações e materiais didáticos para gestores e professores da Rede em relação ao tema. “Realizamos cursos e eventos acerca das temáticas sobre a educação racial, com o objetivo de que se tenha uma complementação da formação continuada já realizada com nossos profissionais”, ressaltou.

A promotora de justiça Elizabeth Almeida, aproveitou o momento para frisar a relevância de fortalecer os laços em prol da efetivação e adesão das ações. “Devemos buscar constantemente estratégias e sugestões para um avanço cada vez maior, pois estamos em um momento de construção. Temos que atingir o micro para alcançar o macro em um olhar construtivo acerca desse tema tão importante”, disse.

Na audiência pública desta terça (16/07), também marcaram presença o promotor de justiça Hugo Porto; representantes das Secretarias de Educação do Ceará (Seduc); da Coordenadoria de Acessibilidade e Diversidade Étnico-racial do IFCE; Caravana Cultural do Quilombola; Movimento Hip Hop Nós por Nós; Movimento Negro Unificado (MNU); Coordenadoria Jurídica da SME; entre outros nomes da sociedade civil.

Acordo técnico
O acordo estabelece parcerias para executar o Projeto Direitos Humanos e Educação: Ciclos de Palestras, que tem como foco promover um diálogo pautado nos Direitos Humanos, levando a reflexão sobre o respeito, conscientizando os estudantes para atuarem em uma sociedade diversificada e de direitos. Além disso, busca a formação continuada para professor e gestores da Rede Municipal com ações integradas voltadas para um currículo escolar que garanta o estudo efetivo da história e da cultura afro-brasileira e africana, o que é previsto na LDB de 1994, e ampliado pelas Lei 10.639/2003 e 11.645/2008.