Extranet

 

[FORTALEZA] Prefeito Roberto Cláudio lança Programa de Infraestrutura em Educação e Saneamento de Fortaleza

 

O prefeito Roberto Cláudio lançou, nesta quarta-feira (26/06), durante coletiva de imprensa no Paço Municipal, o Programa de Infraestrutura em Educação e Saneamento de Fortaleza (Proinfra). A iniciativa é um conjunto de obras de infraestrutura orçadas em R$ 580 milhões, com serviços de drenagem, saneamento, mobilidade, além da construção de novos equipamentos de Educação e Esporte. O secretário adjunto, Jefferson Maia, representou a Secretaria Municipal da Educação (SME) durante a coletiva. 

Com recursos do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), as obras serão executadas pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf). As intervenções terão início em setembro deste ano, oferecendo urbanização nas áreas de assentamentos precários, com a execução de obras de saneamento e esgotamento a cerca de 30 bairros carentes da Cidade.

As obras deverão focar com maior urgência as comunidades com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), como Che Guevara, Unidos Venceremos, Jardim Violeta, Maria Tomásia, Lago Azul, 3 de Junho, Nova Assunção, São Miguel, Santa Fé, Jagatá, Planalto Vitória, Alto Alegre, Renascer, Marrocos e Sítio São João. Serão 950 vias, cerca de 66 km, que receberão pavimentação e drenagem.

Entre as intervenções previstas pelo Programa, também está a recuperação de três lagoas da Capital: a Lagoa do Mondubim, Lagoa da Viúva e Lagoa do Passaré, que receberão obras de requalificação urbanística, com nova iluminação em todo o seu entorno e amplas calçadas. O programa prevê, ainda, a implantação de Estações de Tratamento de Esgoto (ETE), além da construção de 29 Escolas de Tempo Integral (ETI), 88 Centros de Educação Infantil (CEI) e 26 novas Areninhas. Os equipamentos serão distribuídos de acordo com a necessidade de cada local.

Conforme o prefeito Roberto Cláudio, a escolha dessas localidades se deu pelo alto índice de vulnerabilidade social. “Boa parte das ruas dessas comunidades é de lama. Foram ocupações que se consolidaram e que nunca foram estruturadas ao longo de décadas. Estas estão contempladas nesse financiamento, que é o maior investimento em infraestrutura social em comunidades carentes já realizado na história da Cidade”, disse.

O gestor afirma que as obras terão início ao longo do segundo semestre deste ano e possuem duração prevista de 48 meses. “Algumas licitações já estão em andamento, como as das escolas e creches, outras de urbanização entrarão no mês de julho. Acredito que até dezembro estaremos assinando ordens de serviço praticamente semanalmente”, afirmou.

Investimento em Educação

Na ocasião, o representante do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) no Brasil, Jaime Holguín, destacou o êxito da parceria entre a instituição e a Prefeitura de Fortaleza, atualmente com um histórico de obras executadas, em andamento ou a serem iniciadas. "Vemos no Proinfra benefícios a longo prazo para a toda a população. O objetivo da CAF é justamente ter essas parcerias para melhorar a qualidade de vida das pessoas e em Fortaleza temos encontrado essa finalidade", comentou.

Além disso, Holguín ressaltou que o modelo das Escolas em Tempos Integral é um modelo a ser reproduzido em toda a América Latina. Conforme estudo da CAF, três de cada cinco pessoas que não completaram o Ensino Médio ou Fundamental trabalham no setor informal.

Por isso, para ele “é essencial aumentar o acesso da educação infantil e do ensino básico para haver um desenvolvimento de qualidade, para melhorar a vida e para o progresso individual de cada cidadão. Não só investir mais, mas investir melhor. O Proinfra possui estes componentes importantes e está comprometido a melhorar essas questões."

A secretária de Infraestrutura Manuela Nogueira afirma que houve um mapeamento junto à Secretaria Municipal de Educação para verificar onde havia uma demanda mais reprimida, além da disponibilidade de terrenos que possibilitasse a instalação de novas escolas e creches. "A gente trabalhou as comunidades com mais baixo IDH, que não tem infraestrutura nenhuma. Visitamos esses locais e as áreas onde tem mais procura e onde a gente encontrou espaço, espaços grandes, foram mapeados. Com as Areninhas do mesmo modo, e são equipamentos que hoje trazem toda uma dinâmica nova para aquela realidade", pontuou.

Expectativas

Francisca Antônia de Souza, assistente social e uma das líderes comunitárias do Novo Barroso, conta que o local possui moradores cuja casa fica em frente a pontos de lixo e lama. Segundo ela, a realização do programa também é a certeza do esforço em participar ativamente para mudar a realidade do bairro. “Estou muito feliz. É um sonho de muitos anos realizado. São pessoas de comunidades muito pobres que o poder público muitas vezes não via”, disse.

Por sua vez, o diretor da Associação Comunitária do Jacatá, João Evangelista, também relata uma situação similar de abandono e falta de infraestrutura básica, mas a partir de agora, a perspectiva é de crescimento e desenvolvimento. “Com certeza, com esse projeto da Infraestrutura, teremos uma melhor qualidade de vida, além do acesso mais fácil para as famílias e crianças, já que agora ainda não temos por onde passar e as ruas não têm saneamento básico”, destacou.