Extranet

 

SME realiza seminário sobre envelhecimento e educação intergeracional

 

 
A Secretaria Municipal da Educação (SME) promoveu, nesta quinta-feira (28/03), o Seminário do Projeto Intergeracional, como parte das ações do Fortaleza 2040. O evento, realizado no Auditório Murilo Aguiar, na Assembleia Legislativa do Ceará, reuniu coordenadores da Educação Infantil e organizações da sociedade civil. A programação contou com mesa de conversa, palestra e encenação da peça teatral "A velhota combalhota", uma adaptação do livro de Sylvia Orthof.

Durante o seminário, foram discutidas temáticas sobre o envelhecimento e educação intergeracional no currículo das instituições municipais da Educação Infantil. Na programação, professores selecionados no Prêmio Professores do Brasil apresentaram relatos de experiências desenvolvidas na Rede Pública de Ensino.

>>> Confira todas as fotos no Facebook da SME >>>

Segundo a coordenadora da Educação Infantil, Simone Calandrine, essas vivências são exemplos do impacto positivo da iniciativa. "O prêmio recebido só nos mostra o quanto essas experiências fortalecem a temática integeracional. A Educação Infantil é voltada para a vida e ter desde o início ensinamentos sobre envelhecimento mostra o quanto ganhamos nas múltiplas linguagens da educação".
 

A programação do seminário contou com a peça teatral "A velhota combalhota"
 
O coordenador de Saúde da Pessoa Idosa da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMS), João Bastos Freire Neto, proferiu a palestra "Educação para o envelhecimento", que ampliou o diálogo sobre a temática. "Estamos em um cenário de mudança demográfica, onde até 2050 teremos três vezes mais idosos e, com isso, menos jovens na sociedade. Dessa forma é muito importante refletir e melhorar desde já essa comunicação entre as gerações", declara.

Além do âmbito escolar, os impactos das atividades intergeracionais também fortificam as relações familiares, como frisou a representante da população idosa presente na mesa de conversa. "Eu já ensino muito à minha neta o respeito aos idosos, porque convivemos diretamente. Mas ter esse cuidado trabalhado na escola, longe da família, é muito bom para o crescimento dela e na nossa relação", relata Maria da Penha de Lima, avó da pequena Maria Clara de Lima, estudante do Infantil III, do Centro de Educação Infantil (CEI) Lenira Jurema Magalhães, Distrito 1.