Extranet

 

[FORTALEZA] Prefeito Roberto Cláudio assina termos de parceria para gerenciamento de creches

 
  
 
Na ocasião, foram apresentados novos investimentos e balanço sobre os avanços na Educação Infantil
 
O prefeito Roberto Cláudio e a titular da Secretaria Municipal da Educação (SME), Dalila Saldanha, assinaram os termos de colaboração com 69 organizações da sociedade civil para o gerenciamento de creches da Rede Municipal de Ensino no ano letivo de 2019, nesta terça-feira (26/02), no Paço Municipal. A ocasião reuniu gestores municipais da SME e representantes da sociedade civil, que ouviram em primeira mão os anúncios de investimentos em novos equipamentos e um panorama sobre o crescimento da Educação Infantil na capital cearense.
 
Segundo Roberto Cláudio, os investimentos com termos de colaboração saltaram gradualmente de R$ 11.582.360,00 para R$ 33.646.635,87 entre 2012 e 2019, com duplicação do número de matrículas de 3.522 para 6.923 crianças de 1 a 3 anos atendidas e o número de entidades habilitadas aumentou de 48 para 96 no mesmo período, ampliando o atendimento da Educação Infantil na Capital. Em 2019, a Rede Municipal de Ensino passou a contar com 159 Centros de Educação Infantil e 96 creches parceiras, totalizando 255 equipamentos atendendo as famílias fortalezenses. Fortaleza também possui 141 escolas municipais com turmas de pré-escola.
 
"Hoje a gente celebra uma etapa complementar da política em educação infantil, a parceria com as entidades. É importante que tenhamos esse braço dentro das comunidades. Começamos a gestão com 48, e agora temos 96 creches conveniadas. Tudo isso na perspectiva de dar à criança proteção social e estímulo e aprendizado precoce nos primeiros mil dias de vida", disse o Prefeito.
 
Além disso, conforme explicou Dalila Saldanha, em 2010, a rede privada em todo o Brasil era maior do que a rede pública. A partir dos esforços da gestão ao longo dos últimos anos, em 2018 houve um fenômeno de inversão, tendo o município de Fortaleza tomado a liderança dentro do processo de oferta do atendimento de 1 a 3 anos. A rede pública de educação infantil somou um crescimento de 113%, enquanto a rede privada aumentou cerca de 37%.
 
"Houve essa inversão graças à credibilidade que as famílias têm em relação ao nosso trabalho. Além disso, graças ao processo de busca ativa junto ao Ministério Público, os Conselhos Tutelares e ao Unicef, estamos nas escolas e nos distritos, localizando essas crianças para garantir que 100% delas estejam na escola", detalhou a secretária da Educação.
 
Para o representante das organizações da sociedade civil, José Demétrio Jereissati, o modelo de parceria é o único que realmente irá fazer a diferença no quadro da educação. "A nossa existência é possível graças a esse convênio, a gente confia e aposta na consolidação desse modelo. Quanto mais aberto e fácil for canal de parceria, mais a gente consegue estimular a sociedade civil a participar dessas iniciativas", ressaltou.
 
O prefeito Roberto Cláudio reiterou, ainda, a importância aprendizado na idade certa e, principalmente, durante a fase da primeira infância, quando estímulo à educação garante maior autoestima e confiança para a criança para a infância a juventude. Para ele, a creche deixou de ser apenas o local onde a mãe deixa a criança para ir trabalhar, mas um espaço de proteção de desenvolvimento de afeto e do conhecimento. “Investir em educação é fundamental, mas ainda é parcial. Temos que ter um investimento permanente, cada vez maior, com um compromisso que cresça a cada dia e que envolva a cidade”, concluiu.
 
Após a solenidade, os representantes das Organizações da Sociedade Civil, conforme processo de capacitação previsto para 2019, participaram da palestra de abertura do Programa de Formação Continuada, ministrada pela promotora de justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Organizações da Sociedade Civil, Cível e do Consumidor, Rita Martins. A explanação teve como tema "Aspectos legais do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil".
 
  
 
 
Ampliação da rede
Em 2019 e 2020, Fortaleza realizará investimento em parceria com o Governo Federal da ordem de R$ 60 milhões, dos quais o Município entrará com 30% dos recursos, conforme anunciou a secretária da Educação, Dalila Saldanha.
 
Em 2012, existiam em Fortaleza 138 unidades voltados para o atendimento escolar na faixa etária de 1 a 5 anos. A partir da gestão do prefeito Roberto Cláudio, entre 2013 e 2018, 117 novos equipamentos foram abertos, o que representa a ampliação de 80% do parque escolar ao longo de 6 anos. Conforme apresentado no evento, até 2020, mais 25 unidades serão entregues, e outras 12 a partir de Parcerias Público-Privadas. No total, serão 292 escolas de educação infantil na capital cearense, mais do que o dobro do que existia no início.
 
Com informações do Portal da Prefeitura de Fortaleza