Extranet

 

SME fortalece cultura de paz na EM João Mendes de Andrade

 

 
Ampliar a cultura de paz na Rede Municipal de Fortaleza é uma das iniciativas da Secretaria Municipal da Educação (SME), por meio da Célula Mediação Social e Cultura de Paz. Como parte do projeto, ocorreu na manhã desta segunda-feira (20/08) um encontro de integração na Escola Municipal João Mendes de Andrade, bairro Conjunto Palmares (Distrito 5), com a participação de professores, alunos e equipes de mediação escolar do Projeto “EMPAZ – Escola Mediadora que Promove a Paz". O secretário adjunto da educação, Jefferson Maia, também participou da ação. 
 
O Projeto EMPAZ estimula a mediação de conflitos através da comunicação não-violenta. Possui a proposta de capacitar professores, alunos, pais e membros do núcleo gestor para desenvolver o debate saudável no cotidiano escolar. Dessa forma, é possível transformar ações violentas em conversa, socialização, interação e aprendizado mútuo. 
 
O secretário adjunto, Jefferson Maia, ressalta a importância do projeto. “O projeto vem para consolidar a cultura de paz nas escolas, através do diálogo e socialização. Assim, seguimos o caminho da cultura não violenta. A expectativa é expandir o projeto para o maior número de escolas da rede”, prevê.
 
Para a diretora da escola Karla Geane, o projeto reforça a cultura de paz entre os alunos e, principalmente, no bairro em que a escola está inserida. “A ação pode render bons frutos, formar novos grupos e envolver o maior número de pessoas possível”, justifica. 
 
Estudante do 9º ano, Adrielly Moreira acredita que a ação é importante não somente pela comunicação não-violenta, mas também por despertar a empatia pelo outro. “Durante o encontro, percebemos que estamos sempre preocupados com os projetos pessoais e acabamos não atendendo as necessidades e aflições do outro", reflete a adolescente.
 
Iniciativa
O projeto EMPAZ é um trabalho desenvolvido pela SME por meio da Célula de Medição Social, criada em 2013 e que conta com o apoio de órgãos como o Ministério Público, Conselhos Tutelares, Secretaria da Educação do Estado (Seduc), Vice-Governadoria e Terre Des Homes, dentre outros parceiros da rede de proteção a criança e ao adolescente.